La Nave de Teseo "é uma síntese do clássico e do inovador numa procura contemporânea pela essência e autenticidade do género flamenco. Puerto Flamenco explora neste espetáculo os conceitos implicados no paradoxo filosófico. O paradoxo abre discussões importantes sobre identidade, permanência da memória, ideias e relações; levanta questões sobre essência e autenticidade, a identidade individual  e coletiva em contextos mutantes, as influências contemporâneas na cultura e a importância da preservação através da inovação.

Hesito em chamar La Nave de Teseo de “espetáculo”. Acho que foi muito mais do que isso. A encenação conseguiu reduzir o flamenco ao essencial e, ao mesmo tempo, expandir seu potencial além de seus parâmetros tradicionais ... 

Alex Vella Gregory, The Times 2017.